Geral

Existe idade tarde demais para engravidar? | VEJA.com

Gravidez

Gravidez (Istock/Getty Images)

Recentemente, uma mulher inglesa de 62 anos foi capa de uma revista mostrando estar no terceiro trimestre da gravidez. Esse assunto também foi tema de um portal de notícias, onde uma outra mulher estava grávida pela segunda vez após os 50 anos. Ambas muito felizes com a situação que estavam vivendo. Aparece então uma questão: existe idade que é tarde demais para engravidar?

Há diversos pontos que podem ser discutidos neste tema, vamos ficar com dois relativos às questões de ordem fisiológica e não filosófica: a chance de engravidar e os riscos da gestação em si. Quanto à primeira, é preciso lembrar que bebês do sexo feminino nascem com uma reserva fixa de óvulos presentes nos ovários e as meninas, ao iniciarem os ciclos menstruais, contam com aproximadamente 500.000 desses óvulos.

A cada ciclo menstrual, parte deles é “gasta” para que ocorra a ovulação e, eventualmente, a chance de uma gestação. Esse processo é contínuo, o que torna a chance de uma gravidez espontânea diminuir a partir dos 35 anos de idade e se encerrar quando a mulher entra na menopausa. Contudo, técnicas de reprodução assistida utilizando o congelamento de óvulos realizado em idade de maior capacidade fértil (35 anos ou menos) e a doação de óvulos, regulamentada pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), pode permitir a tentativa de se alcançar uma gestação mais tardia.

Veja também

Saúde da mulher

E como fica a saúde da mulher? Há riscos para essa gestação? Sem dúvida, é fundamental que mulheres que considerem a tentativa de engravidar estejam com a saúde em ordem e tenham uma qualidade de vida adequada para as modificações que ocorrem no organismo. Mesmo assim, alterações como diabetes gestacional, hipertensão e prematuridade podem aparecer e devem ser monitoradas e tratadas com cuidado para que dê tudo certo para mãe e bebê.

 

Médico Sergio Podgaec

 

Quem faz Letra de Médico

Adilson Costa, dermatologista Adriana Vilarinho, dermatologista Ana Claudia Arantes, geriatra Antonio Carlos do Nascimento, endocrinologista Antônio Frasson, mastologista Arthur Cukiert, neurologista Ben-Hur Ferraz Neto, cirurgião Bernardo Garicochea, oncologista Claudia Cozer Kalil, endocrinologista Claudio Lottenberg, oftalmologista Daniel Magnoni, nutrólogo David Uip, infectologista Edson Borges, especialista em reprodução assistida

Eduardo Rauen, nutrólogo Fernando Maluf, oncologista Freddy Eliaschewitz, endocrinologista Jardis Volpi, dermatologista José Alexandre Crippa, psiquiatra Ludhmila Hajjar, intensivista Luiz Rohde, psiquiatra Luiz Kowalski, oncologista Marcus Vinicius Bolivar Malachias, cardiologista Marianne Pinotti, ginecologista Mauro Fisberg, pediatra Roberto Kalil, cardiologista Ronaldo Laranjeira, psiquiatra Salmo Raskin, geneticista Sergio Podgaec, ginecologista

Mostre mais

Revista Oralmédica

É uma publicação impressa e digital da Clínica Oralmédica e da divisão Viaodonto Franquias©. Assuntos de nutrição, psicologia, odontologia, medicina, beleza, bem-estar entre outros de vida e saúde em geral são os principais enfoques, no entanto não substitui em hipótese alguma a consulta profissional.

Artigos relacionados

Fechar